Espectáculo de homenagem ao poeta Emiliano da Costa

(Notícia publicada no primeiro número do jornal Açoteia, em 1962.)

Eis uma notícia que talvez não devesse ser publicada, pois na verdade deste acontecimento já todos os jornais falaram e apontaram o mérito indiscutível da sua realização. Todavia, porque o maravilhoso espectáculo teve lugar no Ginásio da nossa escola e porque para o seu êxito contribuiu a acção de alguns colegas nossos e até professores, não podemos, embora um pouco atrasados, deixar de falar neles.

Foi uma noite memorável essa, que o Grupo de Teatro do Círculo Cultural do Algarve nos ofereceu. A poesia de Emiliano da Costa foi interpretada ora através de intervenções isoladas dos actores, ora por meio de coros falados. Mas foi a dramatização da “Rosairinha” a parte do recital, que por ventura terá sido mais aliciante,

A música e a luz e a cor e até uma sugestão de bailado emprestaram à realização do sr. Dr. Emílio Campos Coroa aquela inefável beleza, que a verdadeira poesia nos oferece. Não queremos salientar a acção de qualquer actor em particular. Todavia não nos levam a mal, que destaquemos aqui os nomes dos nossos colegas: António Viegas, Possidónio Borba, Luís Carlos Assis, Daniel Carrasqueira, António Manuel Teixeira, Graça Ângelo, Auzenda Correia, Olga Correia, Pontes da Luz e os antigos alunos Joaquim Teixeira e Fernando Bento de Sousa.

Foi-nos também muito grato ouvir o senhor Dr. Amílcar Quaresma e o nosso médico escolar senhor Dr. Emílio Campos Coroa, bem como a senhora Dr.ª Maria Amélia C. Coroa e o senhor Eng.º Campos Coroa suas diversas interpretações. Em relação Director Artístico do Grupo, o senhor Dr. Emílio Campos Coroa Há a acrescentar esta palavra de justiça e gratidão: o seu amor ao teatro conseguiu transpôr todas as barreiras e oferecer ao público da cidade de Faro um espectáculo inesquecível. A poesia da cor, da luz, desse maravilhoso sol algarvio que brilha nas páginas de E. da Costa, bem o merecia. Só é pena, que entre a assistência não se encontrassem mais alunos desta escola. Eles teriam certamente tirado um grande proveito dessa noite de poesia e teatro enriquecendo-se a sua sensibilidade com um renovado, vigoroso e sempre juvenil amor à beleza. Só desejamos, é que iniciativas desse género se repitam e a elas cada vez mais frequentemente sejam chamados os alunos desta escola.

Leave A Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *